Posted by: edsonma | July 6, 2010

Mochilão 2010 – Puerto Maldonado

Dia 06/06/2010

Saída: Rio Branco – Brasil

Destino: Puerto Maldonado – Peru

Puerto Maldonado

Após quase 11 horas de viagem, chegamos no fim da estrada. O relógio marcava 18:30, no fuso horário de Puerto Maldonado. O Rio Madre de Dios estava a nossa frente e não existia ponte para que se possa atravessar e alcançar a cidade, logo, tivemos que usar um barco. A embarcação tinha lotação máxima (com algumas pessoas em pé) de mais ou menos 20 pessoas e custou $1,00 sole por pessoa — mais ou menos 0.70 Reais — além disso, tivemos que chamar um triciclo motorizado — que custava $3,00 soles —  para nos levar ao Hotel Paititi (indicado pelo assistente da Movil Tours, Javier).

O Hotel Paititi era bom e o quarto para casal custava $90,00 Soles. A frente do Hotel era de terra mas ficava quase na esquina com uma rua asfaltada. Sorte que não estávamos com clima de chuva. :)

A primeira necessidade, após desembarcamos nossas mochilas no hotel, era matar a fome! Além disso, estávamos agoniados em ter que anotar nosso diário de bordo em um únic papel A4 já quase todo escrito.

Quando saímos do hotel perguntamos para a recepcionista se ela conhecia algum mercado próximo para comprarmos coisas básicas como água, canetas e um caderno de anotações. Ela sem nos entender muito bem, nos informou um tal de "mercado modelo", mas que naquele horário já estaria fechado.

Visitamos o centro da cidade — Plaza das Armas — que estava bem movimentada e uma missa estava sendo celebrada em uma igreja próxima a essa praça. Nessa praça existia alguns restaurantes e pizzarias e optamos por comer em um local chamado Hanroc. A pizza desse lugar estava deliciosa e experimentamos pela primeira vez Inca Cola! A pizza custou $25 Soles e as 2 Inca Cola $5,00 Soles.

No caminho de volta ao hotel encontramos uma loja de conveniência e para nosso azar o caderno de anotações estava em falta. Perguntamos novamente a dona da loja sobre um outro mercado próximo e também nos informou do "Mercado Modelo". Essa hora a curiosidade aumentou e tentamos entender o que era esse lugar! Após muita dificuldade, entendemos que "Mercado Modelo" é o Shopping Center deles! A "loja de conveniências" em espanhol é outro nome: "Budega!" haha! :)

Posted by: edsonma | June 30, 2010

Mochilão 2010 – Rio Branco

Dia 05/06/2010

Rio Branco

Saímos de casa 21:00 para o aeroporto Juscelino Kubitschek em Brasília. ponto inicial da nossa mochilada pela América do Sul. O avião decolou às 23:20 e pousou em Rio Branco às 01:40 da manhã do fuso horário de lá.

Fiquei impressionado quando cheguei em Rio Branco, pois a minha sensação de que desembarquei em uma cidade considerada por muitos lenda,  no cantinho norte do país, foi realmente diferente. A primeira reação ao descer do avião foi averiguar se realmente estava no Acre: olhei para a torre de controle do tráfego aéreo e realmente estava escrito “RIO BRANCO”!  Ainda fiquei um pouco em dúvida se estava sonhando acordado ou se fui enganado por um cenário falso hehehehe!

Olhei em volta do nosso avião pousado e notei uma quantidade grande de aviões em volta: vi cerca de 5 aviões pequenos (teco teco) e um avião da GOL (o mesmo que eu acabei de descer) haha! Uma escuridão ao longe… nenhuma luz…! It’s we, only we! :D hehe

O aeroporto totalmente vazio nos permitiu retirar a bagagem bem rápido (coisa que não acontece em guarulhos!) e buscamos um táxi para a casa do meu amigo Demétrius, que iria nos hospedar aquela noite. O taxista era um senhor super amigável, simpático e bem conversador. Ele tinha uma fala rápida difícil de acompanhar (falava ao estilo locutor de rádio futebolístico!) e nos contou em apenas alguns minutos toda a história de Rio Branco:  contou sobre a cidade e suas ruas, sobre a empresa de táxi que ele está conseguindo fazer se popularizar pela região, sobre eventos que tem na cidade e festas no antigo aeroporto.

A casa do Demétrius é bem grande e ele nos recebeu super bem! Tinha um tempo que não via esse meu amigo em Brasília e de coincidência ele tinha ido morar em Rio Branco haha!

Dia 06/06/2010

Alvorada foi às 8:30 e tive um banho bom para acordar! Ele nos levou até uma feira no centro de Rio Branco (Mercado Velho se não me engano) e tivemos um café da manhã típico Acreano: mingau de banana e baixaria (uma mistura de cuscuz de milho, carne moída, ovos fritos e salada verde).

Ao lado de onde tomamos café existia um moedor de açaí! Nunca tinha visto semente de açaí moído na hora e pedi um litro para experimentar. O gosto do açaí lá é bem mais forte e bem mais gostoso: um copo do açaí de lá correspondia mais o menos a uma concentração de 3 copos do “açaí processado” de Brasília. Seu eu pudesse teria levado 10 L para casa!

O café da manhã foi bemmm porreta e foi bom pra começarmos a viagem bem alimentado! A comida estava bem gostosa e foi uma pena comer tudo muito rápido: o ônibus iria para Puerto Maldonado às 10:00! O planejamento nosso podia ter sido um pouco mais flexível e ter ficado um dia a mais em Rio Branco. Realmente senti que não conheci direito Rio Branco e muitas outras coisas interessantes daquela região mas pelo menos agora tenho uma boa desculpa para voltar lá e poder comer novamente o mingau de banana (muito bom!!)

Exatamente às 9:55 da manhã, nos despedimos e subimos no ônibus da Movil Tours. O ônibus era bem limpo e confortável e tinha um assistente que se chamava Javier. Ele nos informou a duração da viagem (10 a 11 horas) e o procedimento (pegar um barco/balsa para chegar a cidade de Puerto Maldonado) que teríamos que tomar ao chegar no fim da estrada, que  acabava às margens do Rio Madre de Díos (Rio Madeira no Brasil).

Durante o trajeto, tivemos pausa para almoço em um restaurante chamado “Boi na Brasa”. O preço era R$30.00/Kg e foi nosso último almoço no Brasil antes de sair para o exterior (como senti falta dessa comida!! Depois tem o porquê). Também tivemos que passar pela imigração Brasileira/Peruana as 15:20 do horário local e carimbamos nosso passaporte junto com boletos de entrada/saída. Na parte Peruana troquei US$ 100,00 por $275,00 Soles. Essa cotação foi horrível!! Descobri depois que uma cotação boa seria $285,00 Soles o Dolar. :(

Depois da imigração…. uhuuuuuuu entramos no PERU! hehehehehe

Mais imagens em: http://picasaweb.google.com/edsonma/Mochilao2010RioBrancoBrasil#

Ps.: Passamos também por Capixaba, Brasiléia e uma ponte sobre o rio Acre.

Posted by: edsonma | June 5, 2010

Mochilão 2010 – Sudamerica!

Indivíduos!

Estou embarcando hoje as 23:00 para Rio Branco, onde vai ser minha porta de entrada para o mochilão que vou fazer com minha namorada pela América do Sul. Estou ainda organizando a bagagem e está tudo muito bagunçado ainda!!!!

Que nervoso!!!  Minha maior preocupação nessa viagem é esse início: Rio Branco – AC. Será que existe??? Um mito!!!

http://www.ircoffe.com/?p=10240&cpage=1

http://desciclopedia.org/wiki/Rio_Branco_(Acre)

This slideshow requires JavaScript.

Basicamente estarei visitando os países – Peru, Bolívia, Chile, Argentina :)

  • Dia 5 de Junho às 23:00hs: saída do voo para Rio Branco
  • Dia 6 de Junho às 10:00hs: saída de ônibus turístico de Rio Branco a Puerto
  • Maldonado (Peru)
  • Dia 7 de Junho às 11:00hs: saída do voo de Puerto Maldonado para Cuzco
  • Dia 10 de Junho: saída no final do dia para Copacabana (Bolívia)
  • Dia 12 de Junho: ida para La Paz
  • Dia 16 de Junho: chegada no Salar de Uyuni – o maior deserto de sal do
  • mundo (formas de contato escassas e risco de abdução por OVNIs)
  • Dia 21 de Junho: subida ao vulcão Licancabur (Bolívia)
  • Dia 21 ou 22 de Junho: chegada a San Pedro do Atacama (Chile)
  • Dia 24 de Junho: chegada a Salta (Argentina)
  • Dia 26 de Junho: de volta à Brasília.

Espero que dê tudo certo!!!!!!!

Falou galera!

Terça-feira – dia 24/02

Esse dia acordamos super cedo, umas 4:30 – 5:00, pois a idéia era chegar bemmmm cedo nas cavernas de PETAR e conseguirmos logo cedo visitar as várias cavernas de um dos núcleos de visitação.

Essas cavernas são bem mais estruturadas do que aquelas que visitamos nos dias anteriores, pois era um parque turístico para visitação. Engraçado ao entrarmos na caverna, percebemos toda a infra-estrutura turística mesmo: escadinhas de madeira, corrimões de madeira, cordas para se equilibrar. Não tinha nem um pouco dessas coisas nas cavernas não abertas a público comum anteriores mas isso não deixou essas menos “legais”.  Uma diferença nítida que deparamos: as formações eram bem maiores!

Uma breve descrição desse parque:

Localizado no sul do Estado de SP, entre as cidades de Apiaí e Iporanga, está o PETAR (Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira). Parque com mais de 300 cavernas, dezenas de cachoeiras, trilhas, comunidades tradicionais e quilombolas, sítios arqueológicos, paleontológicos… é realmente um verdadeiro paraíso escondido entre vales e montanhas e na maior porção de Mata Atlântica preservada do Brasil.
Criado por um decreto em 1958 (Governo do Estado de SP), com cerca de 35 mil hectares de Mata Atlântica preservada, tornou-se depois da década de 90 um dos locais mais perfeitos para a prática de alguns esportes radicais com espeleo, rapel, bóia cross, cascading, bike e, de algumas atividades como educação ambiental e fotografia da natureza.
No Petar você irá encontrar várias espécies de aves, mamíferos de grande porte: como pacas, antas e bugios; e muitas espécies de bromélias, orquídeas e palmito juçara. Além é claro de uma imensa quantidade de córregos e rios com águas cristalinas.´
Sem dúvida o que mais atrai os visitantes ao PETAR são as cavernas.
As cavernas existentes oferecem vários níveis de desafios. Há desde cavernas com enormes rios, com escaladas, mergulhos e rapeis à cavernas com estruturas turísticas, como escadas, passarelas e pontes.
Existem no parque Quatro Núcleos de Visitação, todos possum a finalidade de facilitar o controle dos visitantes e de proteger de forma mais organizada esse rico patrimônio. Eles estão localizados estrategicamente pela área total o parque, como o Núcleo do Ouro Grosso, que fica no Bairro da Serra (Iporanga) e serve de base de apoio para cursos de monitoria ambiental, seminários, reuniões e de alojamento para escolas públicas.

………………….

Núcleo de Santana: é o mais visitado do PETAR e onde estão algumas das principais cavernas, como Caverna de Santana, Caverna do Morro Preto e Caverna da Água Suja. Além de cachoeiras magníficas como: Cachoeira das Andorinhas, Betarizinho e Couto. Está localizado próximo ao Bairro da Serra (Iporanga) e ao Núcleo Ouro Grosso, onde ficam a maioria das pousadas e campings

Nossa visita foi nesse núcleo Santana :)

Vocês lembram que no começo da viagem comentei sobre o fato das cavernas que imaginamos serem estilo “Tomb Raider”? Com grandes salões? Então… as do parque de Petar são assim!!! Visitamos cavernas pouco exploradas nos outros dias e agora cavernas cinematográficas!!

Logo depois dessas cavernas de Petar, tomamos banho (caiu um baita chuvão no meio da tarde) e viajamos de volta para Piracicaba-SP, onde deixamos nossos carros… Chegamos por volta das 23:00 desse mesmo dia (Terça-feira).. compramos RedBull e levamos uma garrafinha de café…. (?) Sim! Estávamos podres e tivemos que dirigir durante a madrugada de volta pra Brasília!!!! Quarta-feira teve trampo a partir de meio dia.

Revesamos todo mundo.. Todos dormiram e dirigiram um pouco. :) Cansativo mas deu tudo certo!!!!!!!!!

UFAAAAAAAAAAA!!! E essa foi o meu Cavernaval 2009!!!!

Aconselho todos um dia conhecerem Petar, e se quiseram combinar alguma aventura… procurem o Walker!! (óh a propaganda). Esse camarada teve as manhas de preparar uma viagem de aventura das melhores!! :) -> http://www.ecoesportes.com/hp/index.php

Posted by: edsonma | June 3, 2010

Cavernaval 2009 – Atração Cultural

Não posso deixar de comentar as atração cultural que tivemos sempre que voltávamos das aventuras.

Na pousada Itaoca sempre tivemos uma comida caseira ótima! Passávamos os dias caminhando e explorando… e comíamos lanches que nos eram dados, o básico para não ficar com fome. Mas com tanto esforço físico… chegávamos famintos!!

Para não ficarmos apenas comendo no silêncio… tivemos a satisfação de assistirmos a dança do grupo “Fandango de Tamanco”.

O termo Fandango designa uma série de danças populares. No encerramento de mutirões, em festas e outras ocasiões em todo o Brasil executam-se danças as mais variadas. Essa modalidade de fandangos é dançada só por homens, com seus sapateados e palmeados.

Posted by: edsonma | June 3, 2010

Cavernaval Ato 3 – Caverrnaaaaa dos Morcegos.

Segunda-feira após a trilha das 5 cachoeiras fomos para essa caverna dos morcegos.

A entrada era de acesso meio difícil e quando chegamos no 1o salão…um odor muitooo gostoso exalava no ar. Cheiro de guano!!!!

Subimos em um local mais alto e era todo melado e cheio de Guano!!! Demorou um pouco para acostumar e sentir menos o odor forte e desagradável.

Para quem não sabe o que é: http://en.wikipedia.org/wiki/Guano

Essa caverna foi o que exigiu mais do pessoal pra entrar e sair… A entrada era diferente da saída então caminhamos bastante dentro dela. Além de locais que exigia ajuda para descer, pois era alto, perto do final dela para passar, tivemos que praticamente deitar na água pois era um tento de mais ou menos 1.5 metros com centenas de estalagtites  no teto! Foi estranho!

Nessa caverna também tinha um lago subterrâneo… algumas pessoas entraram pra ter  a sensação estranha de mergulhar no vazio! Eu não tive tanta coragem hehe :)
Infelizmente tenho poucas fotos dessa caverna, mas já dá pra ter uma idéia do que tinha lá.

Uma piadinha sobre morcegão bem idiota antes de continuar:

Posted by: edsonma | June 3, 2010

Cavernaval 2009 – Ato 3 – Trilha das 5 Cachoeiras

Segunda-feira dia 23/02

Depois de um Domingo intenso… nosso descanso: subir uma trilha com 5 cachoeiras. :D

Essa trilha era bem interessante, a cada nível que subíamos, uma cachoeira bonita aparecia! O problema era que a subida não era tão tranquila, era bem íngreme e teve um trecho que precisamos da ajuda de cordas. Com o cansaço dos dois dias anteriores acumulados, acabamos não conseguindo subir até a última cachoeira. Acho que paramos no 3o e é a única cachoeira que tenho fotos.

Fim da tarde fomos conhecer a Caverna do Porco.

Quando pensamos em caverna imaginamos um salão com entrada imensa (esquema Tomb Raider) com morcegos e com um salão bonito e bem amplo… como essa foto:

No nosso caso, chegamos na entrada Caverna do Porco.. e… ué? Todo mundo se perguntando onde era estava a boca da caverna… quando reparamos que para chegar lá era preciso escorregar por um buraco no chão, literalmente! Apesar da entrada ser estranha… passamos por salões belíssimos com destaque um ninho de pérolas calcárias bem delicadas e raras.

No final da caverna estava a emoção! Descer de rappel em uma cachoeira subterrânea de 7 metros. Bem maneiro!!!!

Domingo – 22/02/2009

Engraçado como em viagens com dias intensos, nos fazem esquecer o dia da semana. Ao invés daquela preguiça de acordar meio dia de Domingo, almoçar e assistir Faustão (ninguém merece), estávamos fazendo rappel dentro de cavernas e nos enfiando em buracos de uma mina abandonada!

Visitamos a Caverna Misteriosa para um rápido treinamento de rappel nessa manhã para aquecimento e fomos visitar uma mineradora abandonada (Plumbum) em Adrianópolis (PR). Para chegar a Plumbum, atravessaremos o rio Ribeira para o lado do Paraná, em uma das mais antigas balsas do Brasil. Essa balsa, funciona de forma bem rústica, sem motores e através de uma tirolesa, é levada de um lado a outro apenas com a força da água.

Sobre a mineradora:

A Mineradora Plumbum foi desativada na década de 90. Possui atualmente um dos maiores complexos de túneis artificiais, 194 km. Por onde passam rios, e lagos subterrâneos, cachoeiras de todos os tamanhos, espeleotemas de diversos tipos (por ser de calcário existem muitas formações). É uma visita com um conceito histórico muito grande. E talvez uma das únicas abertas pra visitação do mundo (Nosso grupo foi o primeiro a dar inicio a visitação turística na Plumbum). Dentro dos túneis fizemos uma travessia, em seus labirintos, por aproximadamente 2 horas. Subimos por trás de cachoeiras com as mesmas escadas usadas pelos mineiros. É uma visita incrível e imperdível.

Essa mina foi fechada por questões ambientais e existem diversos estudos de contaminação na região… como segue relatos em:

Nunca estive em uma mina antes… é bem diferente e a sensação que temos após andarmos alguns metros de distância (quando não se vê mais a entrada) é bem estranha. Fizemos até um apagão das nossas lanternas por alguns segundos para sentirmos e… não se via literalmente NADA!

Older Posts »

Categories

Follow

Get every new post delivered to your Inbox.